sábado, 31 de janeiro de 2015

Ainda me causa espanto a madrugada


Claude Monet



Entre mim e o mar
ainda me causa espanto a madrugada.
Sempre diferente. Sempre idêntica.
Tons de mel, de romã,
de diamante, de milho seco.
Sopro de sal, de sangue, de limos.
E, por trás das dunas,
a respiração dos amantes

sobressaltando as aves.


Graça Pires 

(http://ortografiadoolhar.blogspot.com)
De: Espaço livre com barcos, 2014



1 comentário:

.

.

Banhinho

Banhinho
Loading...

ROGER

Related Posts with Thumbnails

A flor mais grande do mundo

Número total de visualizações de página