sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Em Todas as Ruas te Encontro...






Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto    tão perto    tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco

Mário Cesariny


4 comentários:

  1. É incrível como a presença da pessoa amada se faz tão forte, mesmo em sua ausência...

    Lindo poema...

    Beijos!!

    ResponderEliminar
  2. Lembra-te
    que todos os momentos
    que nos coroaram
    todas as estradas
    radiosas que abrimos
    irão achando sem fim
    seu ansioso lugar
    seu botão de florir
    o horizonte
    e que dessa procura
    extenuante e precisa
    não teremos sinal
    senão o de saber
    que irá por onde fomos
    um para o outro
    vividos

    (Mário Cesariny)

    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Un bello poema, con mucho amor dentro, bella Flor.

    Me ha encantado, sí.

    Besos.

    ResponderEliminar
  4. Encontrar y perderse.
    Encontrar el amor,
    perder la tristeza.
    Un poema precioso Flor,
    me gusta.
    Besos

    ResponderEliminar

.

.

Banhinho

Banhinho
Loading...

ROGER

Related Posts with Thumbnails

A flor mais grande do mundo

Número total de visualizações de página